Polícia Civil desarticula quadrilha interestadual que fraudava cartões de crédito...


A quinta-feira (6) amanheceu com trabalho intenso da Polícia Civil do Rio Grande do Norte. Aproximadamente 30 equipes cumprem mandados prisão, busca e apreensão em Natal e Região Metropolitana. A Operação Clone, como foi batizada, visa prender quadrilha com atuação em fraudes de cartões de crédito e bancários no Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba.

A operação tem o objetivo de desarticular a quadrilha com a prisão de pelo menos 28 pessoas, em Natal, interior e até em São Paulo, além de cumprir 32 mandados de busca e apreensão. As fraudes, de acordo com informações iniciais, podem ter chegado a R$ 3 milhões.

A quadrilha, de acordo com a investigação da Polícia , contava com a colaboração de funcionárias de uma rede de supermercados que tinha lojas em todo o país. De posse dos dados de clientes, colhidos no momento da compra nessas lojas, a quadrilha fabricava os cartões em Natal e aplicava os golpes.

Ainda não há a confirmação sobre quantas prisões e mandados de busca e apreensões já foram efetuados. Por volta das 5h30 desta quinta-feira (06), uma das equipes prendeu um suposto integrante da quadrilha em um condomínio no bairro de Nova Parnamirim, município de Parnamirim.

Redinha

Uma casa de praia na Redinha também fez parte dos mandados de busca e apreensão da Operação Clone. Por volta das 6h30 da manhã, sete agentes da Polícia Civil lotados na 7º Delegacia de Polícia invadiram a residência localizada na Rua Cabedelo, s/n. Dentro da casa, foram encontrados todo o maquinário utilizado para realizar a clonagem de cartões de crédito de diversas bandeiras, bem como para a confecção de sandálias falsificadas de uma marca de luxo.

De acordo com o delegado Raimundo Lucena, da 7ªDP, a investigação está no encalce do proprietário da casa, que não se encontrava no local no momento da abordagem. Apenas dois cães, um pitbull e um rotweiller, faziam a guarda do local. Impressoras de última geração, leitoras de cartões e uma máquina para confecção das sandálias, bem como a matéria-prima, faziam parte do conjunto de materiais ilícitos.

Ainda de acordo com as informações passadas à equipe de reportagem da TRIBUNA DO NORTE, a casa pertence a um dos articuladores principais da quadrilha. O nome do acusado ainda não pode ser divulgado para não interferir nas investigações.

Outras duas pessoas foram presas em Nova Parnamirim na manhã de hoje. Iolanda Araújo de Brito e Roberto Barreto Conrado Xavier, conhecido como "Beto Seboso", também faziam parte do esquema fraudulento.
 
As suspeitas da Polícia Civil é de que a quadrilha possua comércio em João Pessoa, tendo em vista que foram encontrados vários documentos de lojas endereçadas na capital paraibana. Outro fato ainda a ser estudado é a origem da máquina de débito e crédito, que pode ter sido roubada de uma loja identificada como Bela Calçados.


Fonte: TribunadoNorte
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.