Segurança leva América ao STJD...

Após os dois episódios registrados em Natal, que ganharam repercussão nacional envolvendo problemas com as torcidas dentro dos estádios potiguares, a segurança para o clássico do próximo sábado passou a ser um tema primordial. Na reunião de ontem, que envolveu membros do Ministério Público, das polícias Militar e Civil, do Corpo de Bombeiros e dirigentes de ABC e América, o plano de divisões da torcida nas arquibancadas do Frasqueirão foi alterado. Além disso, a exemplo do já havia ocorrido com o ABC, foi confirmado que a Procuradoria-Geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu denunciar o América pelas confusões entre torcedores no confronto de sábado passado, no Nazarenão.
Joana LimaReunião abordou questões de segurança e definiu que apenas a torcida do América irá ocupar o módulo três do FrasnqueirãoReunião abordou questões de segurança e definiu que apenas a torcida do América irá ocupar o módulo três do Frasnqueirão

Para diminuir o risco de novos episódios de violência, as autoridades de segurança decidiram reduzir a carga de ingressos que será exposta a venda para o clássico potiguar. A carga liberada para venda será de 12.575, sendo 10.975 para o alvinegro como o mandante do confronto e 1.600 para o América. Os 1.025 ingressos reduzidos foram tirados da carga destinada ao alvinegro.

A diretoria alvirrubra já solicitou ao ABC que repasse a carga a que ela tem direito para que a mesma seja distribuída nos pontos de venda antecipada usados pelo América. 

Com relação a acomodação do público no estádio, a proposta aceita pelo ABC foi de manter a torcida do América em um terço do módulo 3 e a Polícia Militar isolando essa área. A parte que seria para torcedores do alvinegro ficará vazia. “Chegamos a um consenso independente de ser ABC ou América e de ser no Frasqueirão. Fizemos um acordo como foi no Barretão e a torcida do América ficará no módulo III sozinha”, informou o tenente-coronel Alarico Azevedo, da Polícia Militar.

Apontando o episódio registrado no último sábado, no Nazarenão, como “muito grave”. Paulo Schmidt, procurador do STJD decidiu denunciar América e Ceará pelos distúrbios provocados pelas suas torcidas, com base nas imagens requisitadas a televisão. Ele não citou os artigos que pretende enquadrar os clubes, mas opinou sobre a forma de punição que considera mais eficaz para casos do tipo. 

“O que aconteceu (na partida entre América-RN e Ceará) foi muito grave. Por pouco não tivemos uma tragédia. Não vejo outra alternativa que não seja jogos de portões fechados. São casos recorrentes, toda semana temos algo parecido em algum lugar do país”, disse Schmidt ao site do G-1. A diretoria do América começou a juntar provas para mostrar que os incidentes ficaram restritos aos torcedores cearenses, para isso filmou o comportamento dos integrantes da Cearamor durante todo o tempo.
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.