Ronda terá 300 homens diariamente nas ruas

Novo comando geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte  começou a efetuar mudanças no patrulhamento da Região Metropolitana de Natal. As medidas de segurança começaram pelos bairros do Alecrim e Cidade Alta que receberam diversos homens para fazer o Policiamento Preventivo Ostensivo (PPO). A partir de hoje, cerca  de 300 policias estarão reforçando a segurança em toda a grande Natal.



A secretária de Segurança Pública, delegada Kalina Leite, destaca a necessidade da volta de policiamento nas ruas, como uma das primeiras medidas a serem adotadas neste novo governo. O novo comandante geral da PM, Coronel Ângelo Mário de Azevedo Dantas, discutiu a medida ontem, em sua primeira reunião com os principais subcomandantes da corporação. A reunião aconteceu de portas fechadas, mas o comandante explicou que o objetivo foi planejar as ações da PM no novo governo. “Essa reunião foi para planejar uma dinamização do policiamento ordinário, policiamento que já existe. Estamos tentando se fazer presente em todos os pontos da Região Metropolitana de Natal (RMN) com policiamento motorizado e a pé”, explicou.

Como primeira medida para garantir o policiamento preventivo ostensivo, o Coronel Ângelo explicou que serão colocados 300 policiais,  pagos com diárias operacionais,  para garantir a segurança nas principais ruas da Grande Natal. “Serão mais ou menos 300 policias diariamente fazendo  esse policiamento preventivo em toda a RMN. Começamos com policiais cobrindo os principais  pontos comerciais como Alecrim e Cidade Alta e alguns pontos de Tirol e Petrópolis que estavam há muito tempo sem policiamento”, destacou. O policiamento está sendo feito em pontos estratégicos dos bairros.

A equipe da TRIBUNA DO NORTE percorreu esses bairros  e encontrou a presença de policiais em vias movimentadas. Segundo o comandante geral nesse primeiro dia poucas duplas estavam nas ruas, pois foi feito  um remanejamento de pessoal,  mas a partir  de hoje os policias estarão trabalhando com diárias operacionais que serão pagas através do orçamento.

Os comerciantes do Alecrim ficaram surpresos com a presença de policias. A gerente de loja, Bia Macedo, elogiou a medida. “Na quarta-feira houve um tiroteio aqui em frente à loja e não havia nenhum policial na rua. Agora com esse patrulhamento espero que a segurança melhore. Estou achando maravilhoso, além de ser bom para o comércio. Espero que fiquem permanentemente”, disse a gerente.

Na Cidade Alta, a medida também foi elogiada, mas pessoas como o ambulante Antônio Fernando, afirmam ser necessário ainda mais policiamento. “Todas as medidas para a segurança são positivas, mas precisamos de mais polícia na rua, principalmente, aqui no centro que sofre com a insegurança. Essa medida é positiva, mas espero que não seja apenas um dia”, disse o ambulante.

Na próxima semana será  realizada uma coletiva de imprensa para mostrar os principais pontos do planejamento operacional da PM para 2015. Também devem ser divulgados na próxima semana os nomes que irão compor a nova cúpula da corporação.

Bate-papo - Kalina Leite
Secretária Estadual de Segurança

“A questão de recursos humanos é preocupante”

Quais serão as primeiras medidas para segurança?
É claro e apontado a deficiência de efetivo na rua. Essa é preocupação grande. A questão de recursos humanos é preocupante. Os policiais cedidos é algo que vamos trabalhar para retomar os policiais de volta a instituição. Essa é a primeira providência.

Como será essa convocação dos policiais cedidos?
Estamos conversando com outros poderes e sensibilizar a necessidade dos policiais nos seus locais de trabalho.

O governador Robinson Faria tem anunciado a Ronda Cidadã. Como esse programa será implementado?
Nós estamos trabalhando no projeto e em breve vamos colocar os policiais em sala de aula para recapacitar, eles fazerem o trabalho de quadrante de área e aproximação com a sociedade. Temos vários projetos e estamos estabelecendo prazo de prioridade. A prioridade agora é resgatar a confiança de segurança pública no Estado.

A política da segurança será preventiva ou repressiva?
Temos que ser fortes no combate, mas temos que respeitar os direitos humanos. Vamos fazer um trabalho de aproximação, conscientização, mas muito firme.

Como será essa mudança no estatuto da polícia militar?
É um pleito muito antigo, já vem sendo estudado há algum tempo, e acho que agora é oportunidade de ampliar o diálogo e fazer reflexão. Realmente, há muita coisa arcaica que precisa ser melhorada. Então a partir de agora vamos criar um grupo de trabalho para fazer uma avaliação de toda legislação não só da polícia militar, mas de toda segurança.

Fonte: Tribuna do Norte
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.