'Achei que fosse morrer', diz mulher que apanhou de lutador de jiu-jitsu

Ex-companheira e amigo dela que foram agredidos prestaram depoimento.
Delegada deve indiciar lutador por lesão corporal ou tentativa de homicídio.



“Fiquei muito assustada, eu achava que eu ía morrer mesmo (sic)”, é o que disse a jovem Natalie da Costa, de 27 anos, agredida pelo ex-marido e lutador de jiu-jitsu, Leonardo de Oliveira, de 21 anos, depois de uma crise de ciúmes, como ele disse à polícia. Leonardo foi flagrado espancando ela e um amigo, Daniel Baptistella, de 33 anos, dentro da loja dele, na sexta-feira (20). Câmeras de segurança registraram a ação (Veja acima). Natalie e Daniel prestaram depoimento nesta terça-feira na

Delegacia da Defesa da Mulher (DDM).
Cinco dias depois das agressões, as marcas continuam no corpo da jovem. Ela conta que levou chutes e socos, inclusive no rosto, do rapaz. “Foram cenas de terror, ela falava que ia me matar, ele estava muito agressivo, não parava”, conta Natalie.

Como não houve flagrante no dia do crime, Leonardo não foi preso e, por enquanto, vai responder em liberdade. A equipe de reportagem da TV TEM tentou entrar em contato com o lutador, mas ele não atendeu as ligações. No dia seguinte às agressões, o rapaz disse que estava arrependido e invadiu a loja por se sentir traído pela ex-mulher.
“Desde o começo da nossa relação teve várias ocasiões, cheguei a chamar a polícia na minha casa várias vezes (por causa da violência dele). Pedi para a mãe dele buscar tratamento e só sabiam falar que era o jeito dele (sic)”, revela a vítima.

Além de praticar jiu-jitsu, o agressor é segurança profissional. Durante as agressões, Daniel, amigo de Natalie, chegou a desmaiar, levou mais chutes depois que recuperou a consciência, e ficou internado por 12 horas. "Daniel é amigo, que eu fui dar parabéns", comenta Natalie.

O mergulhador e empresário Daniel, que também se recupera das agressões, espera que o lutador e segurança Leonardo de Oliveira responda pelo ato que cometeu. “Ele merece ser punido, no mínimo. Falei a verdade no depoimento, que eu e a moça não tínhamos nada, e mesmo que tivéssemos não justificaria o que ele fez. Era para eu estar viajando agora a trabalho e não estou por um equívoco dele. O que eu puder fazer para ajudar que ele seja preso eu vou fazer”, afirma.

Daniel afirma que não tem nenhum relacionamento amoroso com Natalie e que são apenas amigos. Ele disse que a moça só foi até a loja de mergulho na sexta-feira porque era seu aniversário. “Só gostaria que ele fosse punido de alguma maneira, por mim não vai ser, agora pela Justiça gostaria que fosse. Uma agressão sem motivo, ridícula, estava arrumando minha tralha para viajar e ela passou na loja para me dar feliz aniversário e ele interpretou que eu estivesse ficando com ela”, diz Daniel, que viajaria no sábado (21) para a Bahia em uma excursão para mergulhar.

Daniel ainda se recupera da agressão
(Foto: Reprodução/ TV TEM)


No vídeo é possível ver o momento em que o lutador bate na ex-companheira e em Daniel Baptistella. Após deixar ele desmaiado, o agressor sufoca a mulher com um mata-leão. Depois ele segura ela contra a parede e passa uma rasteira, derrubando-a no chão. Quando tudo parecia terminado e Daniel já estava sentado, o lutador aparece de repente e acerta um chute no rapaz, que cai novamente. Várias pessoas tentam segurar o lutador, que ainda acerta socos e chutes na ex-mulher.


Investigações
As investigações sobre o caso se concentram na DDM. A polícia confirmou nesta terça-feira que uma parente da vítima recebeu um áudio de Leonardo, por meio de um aplicativo de celular, em que ele fala sobre a agressão. No trecho divulgado, o lutador disse: “eu sou fraquinho né. Por que no hospital? porque peguei no pulo, bati muito cara, chutei muito cabeça dele. Dei um monte de tapa na cara dela, para ela virar mulher de verdade, aí.”

Segundo a delegada Dálice Ceron, responsável pelo caso, o áudio será anexado à investigação e será enviado para o Instituto de Criminalística. A delegada também vai esperar o resultado do laudo do Instituto Médico Legal (IML) que vai apontar a gravidade das agressões sofridas pelas vítimas e só depois decide por qual crime Leonardo deve responder, entre lesão corporal e tentativa de homicídio.

A delegada já entrou na justiça com um pedido de medida protetiva para evitar que o agressor se aproxime da ex.
A agressão foi registrada no primeiro distrito policial de Rio Preto como lesão corporal, mas segundo o delegado Ayrton Douglas Honório, que registrou o boletim de ocorrência no dia da agressão, não é descartado indiciar o lutador por tentativa de homicídio. "Realmente a situação é grave, ainda mais o agravante que ele tem formação acadêmica de luta, as vítimas estavam em desvantagem, isso é um complicador. Vamos analisar com critério e não está descartado a ocorrência de tentativa de homicídio”, afirma o delegado.

De acordo com Honório, em caso de lesão corporal, o agressor pode pegar uma pena que varia de um a cinco anos de prisão, enquanto na tentativa de homicídio, a pena varia de 10 a 20 anos de prisão. “É um caso grave, um crime de lesão corporal, será instaurado inquérito policial, porque o laudo deve constatar que houve lesão grave, em razão do estado da vítima. A princípio, tudo será apurado no inquérito como lesão corporal dolosa.”

Fonte: TV TEM

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.