Homem é rejeitado por dois hospitais no Sertão da Paraíba e morre em ambulância indo para o terceiro

“Sei que aquela não era a hora dele morrer, mas a precariedade da nossa saúde pública antecipou sua morte, que foi muito sofrida”. Desabafou filho da vítima



O advogado Nosman Barreiro Paulo denunciou nesta quarta-feira (18), a precariedade da saúde pública no Sertão do Estado. O advogado atribuiu a morte do pai, o agricultor, Nelson Paulo, morador do sítio Pau Brasil, em Itaporanga, ocorrida no último dia 09 deste mês a falta de atendimento médico.

O agricultor sofreu uma parada cardiorespitarória dentro de uma ambulânicia entre Patos e Campina Grande.
“E o que nos maltrata emocionalmente é o sofrimento que ele passou rodando sem fôlego dentro de uma ambulância até sofrer uma parada cardiorespitarório e morrer”. Comentou Nosman Barreto
Nelson Paulo foi acometido por uma pneumonia e internado no hospital local, mas seu quadro clínico piorou, e após três dias de internamento é que o hospital decidiu remover o paciente para outro centro.

Nosman Barreto disse que seu pai saiu de Itaporanga para Piancó, mas a situação do hospital piancoense é mais precária, tanto que ele nem foi recebido pela casa de saúde, alegando falta de condições estruturais e médicas.

Depois de muito tempo esperando dentro da ambulância, o paciente recebeu informação de transferência para cidade de Patos, que recusou atender o agricultor por falta de vagas. Após a segunda recusa, Nelson Paulo seria encaminhado para Campina Grande, mas não resistiu e faleceu.
“Sei que aquela não era a hora dele morrer, mas a precariedade da nossa saúde pública antecipou sua morte, que foi muito sofrida”. Desabafou o filho.

A UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da cidade de Piancó foi inaugurada dias antes da eleição do ano passado, mas segundo denúncia do advogado não está funcionando. “Foi uma farsa essa inauguração”.

Fonte: Diário do sertão
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.