Mulher assassinada deixa filho especial: não fala e nem anda.


A dona de casa Vanessa Aparecida de Abicassis, de 38 anos, morta com um tiro, na tarde desta quinta-feira, no quintal de casa, Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, deixou um filho especial. Vanessa morava na Rua São Felipe, próximo à Avenida Central e ao teleférico. Segundo testemunhas, Vanessa estava sentada na porta de casa com dois vizinhos, por volta das 14h, quando viu homens de preto, que seriam policiais, entrando na mata, que fica a 500 metros da casa.

Pouco depois, ela e os vizinhos ouviram dois tiros. Vanessa pôs a mão no ferimento e disse que havia sido baleada. Ela chegou a ser levada pelos moradores até uma patrulha e, de lá, foi socorrida por policiais para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão, mas, segundo a Secretaria municipal de Saúde, já chegou morta. Outro morador foi ferido por um estilhaço na cabeça.
Vanessa era casada e tinha dois filhos. Um deles, especial: não fala e nem anda.

— Vimos os policiais entrando na mata, mas não saímos dali, não demos importância. Era uma coisa rotineira, entravam ali sempre. De repente, ouvimos dois tiros. A Vanessa estava sentada, se levantou, colocou a mão no local que foi ferido e disse: "levei um tiro". Logo depois, caiu. Era uma pessoa tranquila, mãe de dois filhos. O especial é igual a um bebê. Dependia dela para tudo. Ela era quem dava comida e banho. Não sei como vai ser — disse um dos vizinhos que não quis se identificar.

O delegado Daniel Rosa, da Divisão de Homicídios (DH), disse que ainda não há a confirmação de que os homens que entraram na mata sejam policiais:
— Vamos fazer uma perícia amanhã (nesta sexta-feira) no local para tentar verificar a versão apresentada pelas testemunhas.


fonte:extra
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.