Padre é preso após atropelar ciclista e fugir sem prestar socorro no Pará

Jeorge Miranda ia para igreja que administra em São Miguel do Guamá (PA).
O ciclista que atropelou, José Nilton Conceição, de 52 anos, morreu no local.


Um padre foi preso no Pará após atropelar um ciclista no acostamento da BR-316, em Castanhal (PA). Se condenado, pega até oito anos e seis meses de cadeia.
O homem mal consegue responder as perguntas do policial, mas admite que ingeriu bebida alcoólica antes de pegar a estrada. Ele é padre e foi parado em uma blitz porque fugiu depois de provocar um acidente.

Policial: Por que você não parou para socorrer a pessoa que você atropelou em Castanhal?
Padre: Eu não vi.
Policial: Você não viu? Você está bebendo desde que horas?
Padre: Não sei.
Policial: Você não sabe que horas você começou a beber? Que horas você parou de beber?
Padre: Não sei.
Policial: Você não se lembra a hora que você parou de beber? Quantas cervejas você tomou? Foi cerveja ou whisky?
Padre: Cerveja.

"Até 0,29 é só infração de trânsito. A partir de 0,30 além de infração é crime de trânsito. Ele estava com 1,0. Não era nem 0,29 nem 0,30, é 1,0. Então era bastante alto o teor de álcool encontrado no organismo do condutor", diz Marisol Mota, inspetora da Polícia Rodoviária Federal.

O padre Jeorge Miranda ia para São Miguel do Guamá (PA), onde fica a igreja que administra. No caminho, atropelou um ciclista no acostamento da BR-316 e fugiu sem prestar socorro.
A Polícia Rodoviária Federal foi acionada por testemunhas, fez uma blitz na rodovia e conseguiu prender o padre. O ciclista, José Nilton das Neves Conceição, de 52 anos, morreu no local.
O padre foi autuado por crime de trânsito porque dirigia alcoolizado, mas também vai responder por desobediência, e homicídio culposo, sem intenção de matar. Pena que ainda vai ser agravada porque ele não socorreu a vítima.

Fonte: jornal da globo
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.