Mobilização nacional chega a João Pessoa para orientar busca de crianças desaparecidas

Ação acontece nesta segunda-feira, Dia Internacional da Criança Desaparecida. Em João Pessoa, serão visitados três hospitais infantis

Três hospitais infantis de João Pessoa receberão a visita da Caravana Nacional dos Conselhos Regionais de Medicina, nesta segunda-feira (25), Dia Internacional da Criança Desaparecida. A ação, que ocorre simultaneamente em todo o país, busca sensibilizar e chamar a atenção dos médicos e da sociedade para o problema. Por ano, estima-se que 50 mil crianças somem no país e cerca de 250 mil casos ainda não foram solucionados. No mundo esse número chega a 25 milhões.


De acordo com o conselheiro do CRM-PB, Eurípedes Mendonça, serão visitados os hospitais Arlinda Marques, Amip e Valentina Figueiredo, todos em João Pessoa, na manhã do dia 25 de maio. “Queremos mobilizar colegas e outros profissionais da saúde a colaborarem com a busca das crianças desaparecidas e ainda orientar pais e responsáveis como evitar o problema”, destacou.

Eurípedes Mendonça disse ainda que é importante que a categoria médica fique atenta aos casos de desaparecimento divulgados pela imprensa e nos canais oficiais, já que em algum momento as pessoas podem passar por uma unidade de saúde e precisar de um tratamento médico.

“O CFM publicou uma recomendação (nº 4/2014) alertando os profissionais sobre procedimentos que auxiliam na busca. Na consulta, o médico pode observar como a criança ou adolescente se comporta com o acompanhante, se tem marcas de violência, se está com os documentos de identificação, entre outros pontos importantes”, ressaltou o conselheiro.

Em todo o país, a campanha conta com o apoio formal de diversas entidades médicas brasileiras e latino-americanas, como a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), além da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Igrejas Batistas, Movimento Humanos de Direitos (Mhud), Instituto de Migrações de Direitos Humanos (IMDH), ONG Mães da Sé, Rede Marista, Hospital Pequeno Príncipe do Paraná e do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride).

Orientações aos médicos

- Observe como a criança ou adolescente se comporta com o acompanhante. Se demonstra medo, choro ou aparência assustada.

- Observe se existem marcas físicas de violência, como cortes, hematomas ou até abusos.

- Solicite a documentação do acompanhante. Conforme o CFM, a criança deve estar acompanhada dos pais, avós, irmão ou parente próximo. Caso contrário, pergunte se a pessoa tem autorização por escrito.

- Desconfie se o acompanhante apresentar informações desencontradas, contraditórias ou não souber responder pergunta básicas.

- Comunique às autoridades competentes os casos suspeitos.


Não é necessário esperar 24 horas para registrar o desaparecimento de uma criança ou adolescente. Procure imediatamente uma Delegacia de Polícia Civil mais próxima à sua residência para fazer o Boletim de Ocorrência no caso do desaparecimento de uma criança ou adolescente.

A Lei nº 11.259 de 30 de dezembro 2005, que alterou o Estatuto da Criança e do Adolescente no seu artigo 208, determina a investigação policial imediata em casos de desaparecimento de crianças e adolescentes. A Lei é conhecida como “Lei da Busca Imediata”.

A investigação do desaparecimento de crianças ou adolescentes será realizada imediatamente após notificação aos órgãos competentes, que deverão comunicar o fato aos portos, aeroportos, Polícia Rodoviária e companhias de transporte interestaduais e internacionais, fornecendo-lhes todos os dados necessários à identificação do desaparecido.

É importante ressaltar que o registro do caso de um desaparecimento no Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Desaparecidos não substitui o Boletim de Ocorrência, pois este é uma ferramenta que contribui na busca e localização do desaparecido, sendo o Boletim de Ocorrência o instrumento que desencadeia oficialmente a investigação de um desaparecimento.

Disque Direitos Humanos - 100

O Disque 100, além de ser um canal de denúncia de violações de direitos humanos constitui-se também em uma ferramenta que auxilia na localização de crianças e adolescentes desaparecidos.

Por meio do Dique 100 é possível informar o desaparecimento de uma criança ou adolescente ou mesmo prestar informações sobre a localização. O Disque 100 encaminha a informação para os órgãos competentes para que as devidas providências sejam tomadas.

A ligação é gratuita e não é preciso informar os dados, caso não queira. O serviço está disponível 24 horas, sete dias por semana.


Fonte: PortalCorreio
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.