Seis radialistas que cobriam política foram assassinados no Ceará nos últimos cinco anos

Radialistas assassinados tinham programas com temas de cunho social e político. A Polícia investiga mortes como represálias aos radialistas

Em seu programa, o radialista Gleydson Cardoso fazia denúncias contra políticos da região.
O radialista , locutor e diretor da Rádio Liberdade, de Camocim, a 360 km de Fortaleza, foi executado a tiros nesta quinta-feira (6). O caso aconteceu às 13h, quando apresentava seu programa diário Liberdade em Revista.

A morte do radialista Gleydson de Carvalho, executado durante a apresentação de seu programa na Rádio Liberdade, em Camocim, na ultima quinta-feira (6), trouxe à tona um problema já conhecido: os assassinatos a radialistas do interior do Ceará. Nos últimos cinco anos, seis casos foram registrados.  A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) já solicitou providências sobre o assunto ao Ministério da Justiça, em Brasília.

Os radialistas mortos tinham como tema de seus programas assuntos de cunho sociais e políticas. Alguns assassinatos são investigados como represálias ao que os radialistas sofriam pelo que diziam no ar.

Esta já é a terceira morte de radialista registrada no interior do Ceará neste ano. Em junho, Francisco Rodrigues de Lima, de 62 anos, foi assassinado no estacionamento da rádio em que trabalhava, em Pacajus. Em março, a vítima foi Patrício Oliveira, que foi morto na saída da rádio onde trabalhava, em Brejo Santo.

Em 2013, Mafaldo Bezerra Góis foi morto quando saía de sua casa para a rádio em que trabalhava, em Jaguaribe. Em 2011 dois casos foram registrados, o de Francisco Cidimar Ferreira Sombra, em Russas, morto em sua casa e Franzé Rodrigues, em Morada Nova, que foi baleado também em sua casa mas resistiu ao atentado.

Investigação

Na madrugada da sexta-feira (7), a Polícia encontrou a casa onde a execução do radialista foi planejada. No local, foram encontradas roupas usadas pelos criminosos e uma foto da vítima, juntamente com uma arma. No local, um casal foi preso por envolvimento no crime. Agora, a polícia segue à procura dos executores.

O corpo do radialista Gleydson Cardoso de Carvalho, de 36 anos, chegou em Camocim por volta de 11h e teve velório aberto ao público. O sepultamento ocorreu neste sábado (8).


Fonte: tribunadoceara
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.