Divisão de Crime Organizado do RN vai investigar sequestro de vereadores

Dois criminosos foram mortos e um fugiu após confronto com a Polícia Militar.
Foram sequestrados dois vereadores e um secretário de Nova Cruz.

A Divisão Especializada em Combate ao Crime Organizado (Deicor) ficará responsável pela investigação do sequestro de dois vereadores e um secretário do município de Nova Cruz, na região Agreste do Rio Grande do Norte. O crime foi cometido na madrugada desta quinta-feira (3) e terminou com um confronto na madrugada desta sexta-feira (4). Dois homens suspeitos do sequestro foram mortos após trocarem tiros com a Polícia Militar. Um terceiro suspeito do crime fugiu. Os homens mortos e o fugitivo ainda não foram identificados.

O delegado Marcel Pina Gouveia, responsável pela região em que aconteceu o crime, informou que a Deicor vai investigar o caso devido a complexidade do crime. "Por envolver sequestro, a Deicor será responsável pelo crime", disse. Ele também informou que o terceiro sequestrador ainda não foi identificado. "Os dois homens que foram baleados e mortos são de São José de Mipibu, na Grande Natal, mas como eles estavam sem documentação, não temos os nomes. Ainda não temos informações sobre o terceiro criminoso".

Os vereadores Edson Costa Moreira (PSB), mais conhecido como Edson de Manga Rosa, presidente da Câmara de Nova Cruz, e o vereador José Evaldo Barbosa, mais conhecido como Valdo Salu (PSB), estavam voltando de Natal para Nova Cruz quando foram surpreendidos pelos sequestradores nas proximidades do município de Brejinho, também na região Agreste do estado. No carro também estava o secretário municipal de Agricultura e Desenvolvimento Social Antônio Costa Moreira, o Manga Rosa, que é pai do presidente da Câmara.

“Os vereadores estavam em um veículo Hilux quando três homens em outro carro os abordaram. Isso foi por volta das 20h. Os suspeitos entraram no carro das vítimas e anunciaram o sequestro. Por volta das 23h30, os homens fizeram contato com outro vereador da cidade cobrando um resgate de R$ 5 mil. Foi quando este vereador, o Antônio Gomes (PR), acionou a PM”, explicou o tenente-coronel Genilton Tavares. Em entrevista ao G1, o vereador Antônio Gomes explicou como percebeu que dois colegas de legislatura e mais um secretário do município estavam em apuros.

O confronto
O oficial da PM relatou ainda que as famílias das vítimas entraram em contato com os criminosos para acertarem o pagamento do resgate. “As famílias falaram com eles sem o nosso consentimento e marcaram um ponto de encontro no município de Goianinha. Quando ficamos sabendo, começamos a monitorar a área e encontramos o veículo conduzido pelos suspeitos”, disse.

Ainda de acordo com o tenente-coronel, os sequestradores notaram a presença dos policiais nas proximidades do distrito de Piriqui, que fica na zona rural de Canguaretama, já na madrugada. “Quando perceberam a chegada da PM, eles fugiram para o distrito e começaram a disparar contra os policiais. Foi quando houve a troca de tiros”, completou. Genilton Tavares disse também que nenhuma das vítimas ficou ferida durante o confronto.

Dois criminosos foram baleados e socorridos para o Hospital de Canguaretama, mas não resistiram aos ferimentos. Um terceiro sequestrador conseguiu fugir. Com os suspeitos foram apreendidas duas armas, aparelhos celulares e uma certa quantia em dinheiro.


Fonte: G1
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.