Polícia Federal recupera R$ 1,8 milhões em mercadorias

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), em ação conjunta com instituições de fiscalização tribuária e combate a crimes contra saúde pública, realizou entre os dias 12 e 16 de setembro, nas rodovias estaduais entre o Rio Grande do Norte e Paraíba a apreensão de 7.887 itens contrabandeados, que totalizam R$1,8 milhão em mercadorias apreendidas. A operação resultou também na prisão 37 pessoas e R$300 mil em multas aplicadas. O principal objetivo da Operação Temática de Enfrentamento aos Crimes Contra o Fisco e Saúde Pública (OTEFIS) foi fomentar o combate contra o contrabando e produtos pirateados. Além dos flagrantes de crimes tributários, foram apreendidas drogas, armas e veículos roubados. Cinco estrangeiros foram flagrados com vistos ilegais.

Os valores em mercadorias apreendidas na operação, de acordo com o auditor fiscal do Rio Grande do Norte, Derance Amaral, tem alta representatividade contra ao combate a evasão fiscal e repercute diretamente aos cofres públicos. “a venda das mercadorias apreendidas, que seriam vendidas sem documentação, acarretaria um déficit na arrecadação, trazendo prejuízos para sociedade e para o Estado”, conclui. A integração das instituições entre os dois Estados foi fundamental para o sucesso da operação, defende o superintende da PRF na Paraíba, Jefferson Costa de Araújo. O Superintendente ressalta que além dos resultados imediatos da operação, a OTEFIS terá reflexos que se estenderam além aos quatro dias de operação, “os objetivos da OTEFIS certamente terão resultados posteriores as ações. Os agentes são estimulados e motivados. O que gera ainda mais eficiência nas ações periódicas desses profissionais”, defende.

A OTEFIS é realizada desde 2012 em todo território nacional e o coordenador da operação, o inspetor Manuel Hermeto também defende que é uma ação que vai além das apreensões realizadas, “nós colhemos resultados durante e depois da operação. Os agentes que participam são capacitados previamente e em sua maioria, após as ações passam a agir de forma mais efetiva no dia a dia”, afirma. Segundo Manuel Hermeto além dos valores financeiros que movimentam a comercialização de mercadorias contrabandeadas existe por parte da sociedade a ideia de “não criminalização” do consumo de produtos piratas, o que ajudaria a movimentar esse mercado ilegal. “Vemos por todo pais uma grande quantidade de feiras de importados e de produtos piratas. Uma venda quase que oficial de produtos ilegais. Precisamos combater esse mercado”, destaca.

O formato utilizado nas operações já vem alcançando resultados em combate a outros crimes, como narcotráfico, crimes ambientes e frotas veiculares. O   diferencial da OTEFIS com relação aos outros operativos é a fiscalização direcionada a cargas expressivas, que de acordo com a PRF englobam diversos agentes criminais e tem colocado em risco diariamente a vida de policiais nas fronteiras do Pais.

Juntamente com a PRF, participaram da operação a  ANVISA, Policia Militar, Polícia Civil, Secretarias de Receita Estadual da Paraíba e do Rio Grande do Norte, Vigilâncias Sanitárias Locais, Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteira (IDESF), Fórum Nacional de Combate à Pirataria (FNCP), Associação Brasileira de Automação (GS1), Embaixada dos EUA (Immigrations and Customs Enforcement).


Drogas

Durante a operação OTEFIS duas jovens foram presas, na BR-101, em Mamanguape, na Paraíba. As duas foram flagradas por agentes da PRF com 20 kg de maconha e uma caminhonete Amarok roubada. De acordo com agentes da PRF o destino das jovens era Natal, onde entregariam a droga e o carro a receptores. Também em Mamanguape quatro pessoas foram flagradas com 2,2kg de maconha, 100g de cocaína e 21 celulares roubados. Os presos informaram a polícia que levariam os objetos e as drogas para vendê-los em Natal.

Fonte: Tribuna do Norte

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.