A ASSPRA ESTEVE REUNIDA COM COMANDANTE DA PMRN PARA REIVINDICAR MELHORIAS PARA O INTERIOR

A ASSPRA esteve no dia (27) em reunião com o Comandante da PMRN, o Cel. Ângelo


Na ocasião, o Presidente da ASSPRA – Soldado Lira – apresentou reivindicações do policiamento quanto a diversos assuntos de interesse do efetivo local.


Em resumo, restou que...
  • Quanto a escala nos presídios, deve ser observada a Portaria n° 113/2015, que resguarda a folga de 24h de serviço/72h de folga, sendo omisso o intervalo de repouso entre os quartos-de-hora; 
  • Sobre vales–refeição para as Sedes da 2° e 3° CPM/8°BPM, 4ªCIPM e cidades circunvizinhas, o Cel. Ângelo informou haver pretensão de expansão dos vales-refeição para todo o interior. O que, contudo, não é possível neste momento, haja vista o número insuficiente disponível.
  • Sobre os postos de abastecimento de combustível a resposta foi de que tal medida extrapola os limites da PMRN, tendo em vista que se trata de uma medida tomada pelo Governo, restando a PMRN apenas segui-la.
  • Outros assuntos de sócios foram abordados.

Segundo Lira, é necessário uma atenção maior com o interior do Estado. “No RN há duas polícias, a da Capital e a do Interior. Os policiais, independentemente de onde sejam lotados, são servidores públicos merecedores de tratamento isonômico. Exemplo, podemos citar que quando policiais saem da Capital para o interior, viajam com as diárias nos bolsos. Já os do interior muitas vezes não sabem sequer quando receberão”.
                                                                                                                      
Ainda, conforme o dirigente, “não há justificativa plausível para a distinção entre escalas de mesma natureza, distintas apenas pelo local de execução da atividade” fazendo alusão as cadeias e presídios. Continuou... “atualmente, a Sede do 8°BPM recebe vales refeições, enquanto as demais Companhias (2ª, 3ª do 8°BPM e 4ª CIPM), além dos destacamentos ligados à todas as unidades citadas NÃO RECEBEM VALES, persistindo uma política assistencialista das Prefeituras locais permeada de interesses políticos e que submetem nosso efetivo a sofrer absurdos, como o problema vivido nas cidades de Lagoa D’antas e Pedro Velho, nas quais a Prefeitura local teria cortado a alimentação dos policiais”.

Lira informou ainda que outros assuntos, que ensejam em casos particulares de sócios foram tratados na ocasião e que por sua natureza não serão aqui externalizados.

Ainda, reafirma que a ASSPRA está aguardando mais informações as quais são repassadas por sócios para a elaboração de uma pauta de reivindicações e situações a qual será apresentada ao Comando local.

Fonte: ASSCOM ASSPRA

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.