Presídios do RN vivem rotina de enforcamentos de detentos; mais uma morte em Caicó

Mais um detento foi morto em unidade prisional do Rio Grande do Norte. Na tarde deste domingo (25), Márcio César Corsino Freire foi morto por enforcamento na Penitenciária Estadual do Seridó Desembargador Francisco Pereira da Nóbrega, o Pereirão. Essa é foi 22ª morte em presídio do estado somente em 2015, não contando a morte de um adolescente infrator no Ceduc. Nenhum crime foi desvendado.

De acordo com informações preliminares, o detento, que cumpria pena por roubo e associação ao tráfico, estava no pavilhão C e pendurado pelo pescoço na grade de uma das celas, com uma espécie de "teresa". Nenhum dos presos assumiu a autoria do crime e também não foi confirmado se o preso pertencia a alguma organização criminosa.

Caicó, inclusive, teve um dos maiores confrontos entre presos de facções criminosas rivais, em agosto deste ano. Após a morte de um detento, outros apenados cercaram o pavilhão onde estava o grupo rival. Foi necessária a ação da Polícia Militar e, em seguida, a transferência de 71 presos.

De todas as mortes do ano, somente uma está com inquérito encaminhado à Justiça. Após uma onda de conflitos entre detentos de facções rivais, vários presos vêm sendo mortos por enforcamento nos presídios potiguares, sem que nenhum preso ou facção assuma a autoria dos crimes. A Delegacia de Homicídios está investigando o caso, mas, até o momento, não há a confirmação se os crimes estão relacionados.

Justiça

Na semana passada, o juiz de Execuções Penais, Henrique Baltazar, determinou que a Secretaria de Justiça e Cidadania cumprisse a lei sobre o que trata a disposição de presos nas unidades do estado, dividindo os detentos de acordo com os crimes praticados. Recentemente, após as mortes em confrontos de facções, o Governo do Estado havia separado os presos conforme o grupo criminoso a qual pertenciam.



Fonte: tribunadonorte
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.