Fotos mostram destruição no CDP de Santa Cruz, RN; veja imagens

Detentos queimaram colchões, arrancaram grades e destruíram celas.
Ainda nesta quinta (19), todos os 56 presos da unidade foram transferidos.

Celas do CDP de Santa Cruz não resistiram ao vandalismo; presos destruíram até o teto da unidade (Foto: G1/RN)

A Coape acredita que os presos se rebelaram por causa de uma revista realizada na terça-feira (17), quando vários celulares foram encontrados e apreendidos. Na ocasião, os agentes penitenciários também descobriram buracos abertos nas paredes e evitaram uma fuga. Isso teria revoltado os detentos.

Transferências

Coordenador de Administração Penitenciária, Durval Franco confirmou que 56 detentos foram transferidos do CDP. Destes, 28 foram levados para a Penitenciária Estadual de Alcaçuz, que fica em Nísia Floresta, na Grande Natal, 15 para a Penitenciária Estadual de Parnamirim, também na região Metropolitana da capital potiguar, 8 para o Presídio Rogério Coutinho Madruga, vizinho a Alcaçuz, e 5 para Centro de Detenção Provisória de Currais Novos, na região Seridó do estado. "Os presos não podiam ficar em Santa Cruz porque a unidade ficou destruída. Eles arrancaram grades e quebraram as paredes", explicou.
Colchões foram queimados na noite desta quinta-feira (19)   (Foto: G1/RN)
Durval Franco ainda informou que os danos causados à estrutura da unidade serão avaliados nesta sexta-feira (20). "A Secretaria de Infraestrutura do estado deve ir até Santa Cruz ainda nesta sexta para uma visita técnica. O CDP tem 3 celas. Portanto, a reforma deve ser concluída rapidamente", acrescentou.

Presas também se rebelam
As presas da ala feminina do Complexo Penal João Chaves, que fica na Zona Norte de Natal, também fizeram uma rebelião nesta quinta-feira (19). Aconteceu à noite. Na ocasião, colchões foram queimados no pátio da unidade. Segundo a Coordenadoria de Administração Penitenciária (Coape), a situação foi logo controlada.
Detentas da ala feminina do Complexo Penal João Chaves se rebelaram  (Foto: G1 RN)
Coordenador da Coape, Durval Franco disse que atualmente 127 detentas estão custodiadas na ala feminina do CPJC. A rebelião aconteceu por volta das 22h30 e vários colchões foram queimados. Ainda não sabemos a motivação da rebelião. Vamos apurar", acrescentou.



Fonte: intertv
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.