PB: Policia investiga grupos que divulgam blitz nas redes sociais

Uma prática constante após o advento das redes sociais, pode estar com os dias contados aqui na cidade de Patos.
Grupos de Whatsapp estão sendo criados e utilizados para divulgar os locais que estão sendo realizadas blitzes policiais, o que segundo o Comandante da 4ª Companhia de Policiamento de Trânsito, CPTran, está atrapalhando o trabalho da polícia.

O próprio Comandante flagrou uma mulher divulgando no Facebook o grupo e convidando as pessoas para participarem do mesmo.

Denominado "Só de Blitz", o grupo já tem dezenas de participantes e os próprios membros do grupo, repassam informações e divulgam os locais no momento em que as blitz ocorrem, para evitar que outras pessoas passem por elas, o que dificulta a fiscalização.

De acordo com Tenente Leonides, o Ministério Público será acionado e todas as medidas serão tomadas para punir essas pessoas que estão atrapalhando o trabalho da polícia: "Essa prática pode não só atrapalhar no cumprimento da Lei Seca, como também evitar que outros tipo de crimes sejam coibidos, pois não é apenas o cidadão de bem que é informado sobre as fiscalizações, mas até mesmo um meliante que porventura passaria por aquela blitz, avisado deixa de passar e assim, acaba não sofrendo a fiscalização polcicial ", explicou.

Segundo o Código Penal, atentar contra segurança ou funcionamento de qualquer serviço de utilidade pública é crime e o infrator pode ser multado, além de reclusão de 1 a 5 anos.

Fonte: maispatos.com
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.