Suspeita de planejar morte do namorado é solta pela Justiça

O desembargador Nildson Araújo da Cruz, da Sexta Câmara Criminal, concedeu liberdade à Elen Curi, que foi presa pela Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) no dia 12 de novembro deste ano, suspeita de planejar a morte do namorado.
Elen estava presa desde o dia 12 de novembro
A decisão é desta segunda-feira. Felipe Lavina, de 27 anos, foi morto na frente de Elen, no dia 25 de outubro, em Mesquita, na Baixada Fluminense. A jovem, que estava presa temporariamente, foi solta nesta terça-feira.

Em sua decisão, o desembargador argumenta que a prisão de Ellen não se mostrou necessária para o “fluir” das investigações, já que não foram identificadas quaisquer ações suas para atrapalhar o trabalho da polícia. Além disso, o magistrado afirma que a jovem compareceu duas vezes à presença da autoridade policial: “A primeira espontaneamente logo após o crime. A segunda após ser intimada por WhatsApp.

Foi ouvida e, em seguida, a autoridade policial lhe deu conta do mandado de prisão temporário que foi logo executado. O mandado já estava com o delegado de polícia e foi executado, logo após as declarações da paciente, que compareceu sem qualquer necessidade de diligência para localizá-la”, afirma o desembargador na decisão.
Felipe foi morto com pelo menos um tiro na cabeça

O magistrado também afirmou, no documento, que nenhuma testemunha relatou que foi ameaçada ou tem medo de Elen.
- A inabilidade policial com relação ao ato prisional foi revertida pelo judiciário desde que reconhecer a ilegalidade da prisão - afirmou o advogado Rafael Faria, que defende Elen.

Relembre o caso
Felipe Lavina foi assassinado com pelo menos um tiro na cabeça no dia 25 de outubro deste ano. Na época, Elen contou que os dois estavam dormindo quando foram acordados por três homens armados. Apesar disso, a polícia informou que não havia sinais de arrombamento na casa, que fica em Mesquita, na Baixada Fluminense, e que os suspeitos estariam em busca de um cofre onde o dinheiro roubado estava guardado. Além dos R$ 10 mil, os homens levaram roupas e celulares.
Elen, no dia do enterro de Felipe: choro e emoção
O casal então foi colocado em um carro e levado até Nova Iguaçu, também na Baixada Fluminense. Elen teve os olhos tapados e o empresário foi morto. Depois disso, ela contou que levou coronhadas e foi abandonada com o carro. Felipe era dono da Academia Mega Physical, de Mesquita.

Quatro dias antes do crime, Elen se declarou para Felipe através de uma foto no Facebook dele, dizendo: "Que lugar maravilhoso! Assim como todos os dias ao seu lado.. Que viver momentos assim nunca deixem de fazer parte da nossa rotina. Te amo". O empresário respondeu dizendo que estava no lugar mais lindo com a mais linda.


Fonte: extra

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.