Acusados de matar jovem que tentou defender a mãe em assalto são condenados

Cristofer da Silva Marques e Flavyano de Sousa Silva foram condenados a 20 anos de reclusão pelo latrocínio (roubo seguido de morte) do adolescente Diego Tertuliano Lima, morto ao tentar defender a mãe de um assalto na porta de casa, no bairro Messejana. A decisão, proferida nesta segunda-feira (07/03), é da juíza Marileda Frota Angelim Timbó, titular da 14ª Vara Criminal de Fortaleza.
FOTO: ARQUIVO PESSOAL
“Têm, devem e não podem deixar de ser condenados pelo crime que lhes são atribuídos na denúncia praticado contra a vítima Diego Tertuliano Lima. Não milita em favor de nenhum deles nenhuma circunstância que os isentem da responsabilidade pelo delito cometido”, afirmou a magistrada.

Na mesma decisão, a magistrada absolveu Tiago da Silva Ribeiro, por entender que não houve prova material da sua participação no crime. O réu havia sido apontado por Flavyano como o responsável por dar fim à arma utilizada no latrocínio.

O CASO
Conforme denúncia do Ministério Público do Ceará (MP/CE), o crime aconteceu no dia 29 de março do ano passado, quando a mãe da vítima, Dulcinéia Tertulino Apolônio, saía de casa e foi abordada por Flavyano. Armado, o acusado bateu no vidro do carro de Dulcinéia, mandando a mulher descer. Sem resistir, ela entregou a chave do carro a Flavyano.

Neste momento, Diego saía de dentro de casa e, ao ver a cena, mandou o homem não fazer aquilo com a mãe, dando-lhe um soco. Flavyano caiu no chão e deu três tiros, acertando a vítima no braço e na cabeça. Em seguida, fugiu em veículo dirigido por Cristofer, levando apenas o celular de Diego.

Uma testemunha conseguiu anotar a placa do carro e ligou para a polícia. Cristofer foi preso em flagrante no dia seguinte e confessou a participação dele e de Flavyano no crime. Este último foi preso menos de 24 horas após a confissão do comparsa. Após a divulgação do caso na imprensa, várias vítimas de roubo de carro compareceram à delegacia apontando os dois como autores dos crimes.



Fonte: MPCE
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.