sábado, 1 de agosto de 2015

Filha da mulher morta em Macaíba é presa suspeita de ser a mandante

Taliany Masquiza de Freitas Lourenço, de 22 anos, teria encomendado a morte da mãe ao pedreiro

A polícia prendeu na madrugada de hoje (1), Taliany Masquiza de Freitas Lourenço, de 22 anos,  filha de Normalice de Freitas Lourenço, 41 anos, assassinada a marretadas dentro de sua residência em Macaíba na última quinta-feira (30).

O principal suspeito do assassinato é o pedreiro Geraldo José Amaro do Nascimento, 41 anos, que trabalhava na reforma da casa de Normalice. Ele foi preso na cidade de Ielmo Marinho no inicio da noite de ontem (31) e conduzido à delegacia de Macaíba, onde confessou o crime.

Segundo a Polícia Civil, Geraldo contou, em depoimento, que Taliany o procurou dias antes pedindo que matasse a sua mãe, e o pagamento seria carro da vítima e o dinheiro que estava na casa.

Taliany nega acusação, mas no interrogatório feito pela polícia, caiu em contradição. A filha não mantinha um bom relacionamento com a mãe, e morava próximo a casa de Normalice  juntamente com seu esposo.

O crime

Normalice de Freitas Lourenço, de 41 anos, foi assassinada a golpes de marreta na noite desta quinta-feira (30) dentro de uma casa no centro de Macaíba, cidade da região Metropolitana de Natal. A casa passava por reformas e o pedreiro suspeito do crime estava trabalhando no local. Os dois teriam discutido durante a manhã da quinta.

A polícia informou também que a mulher era separada, e morava com a filha, o genro e um neto. Foi a filha quem encontrou o corpo da mãe e chamou a polícia. O corpo de Normalice estava dentro de um dos quartos da casa. Ele estava próximo a uma janela, com as mãos e pés amarrados e enrolado em um lençol.


Fonte: nominuto

Mãe troca filho recém-nascido por 100 gramas de crack!

Um bebê de apenas cinco dias de vida pode ter sido trocado por 100 gramas de crack pela própria mãe em Jaru (RO), município a 290 quilômetros de Porto Velho. A criança foi encontrada pela Polícia Civil numa boca de fumo na quinta-feira (30), durante uma operação. Uma das traficantes presa na residência relatou aos policiais que a mãe trocou o filho como forma de pagamento pela droga.

Segundo a Polícia Civil, o bebê nasceu no domingo (26) dentro da viatura do Corpo de Bombeiros. Na quinta-feira, os policiais receberam a informação de que a criança teria sido deixada em um local que funcionava como boca de fumo, mas que seria contra a vontade da mãe. Uma equipe policial foi até o local e encontrou o recém-nascido com supostos traficantes.

Conforme o delegado Salomão de Matos, a mãe teria confessado ser usuária de drogas e que levou a criança para que eles tomassem conta. Posteriormente, quando voltou para buscar, eles alegaram que a criança não seria devolvida "A criança foi entregue pela mãe, que ao tentar pegá-la de volta as responsáveis pela boca de fumo disseram que sob seus cuidados a criança estaria em melhores condições", explicou o delegado.

Na casa onde funcionava o comércio de drogas foi presa uma mulher de 23 anos e uma adolescente. Ao delegado, a mulher informou que a mãe da criança teria pedido cerca de 100 gramas de crack para que eles tomassem conta do bebê. Na revista feita no interior da casa os agentes encontraram varias porções de drogas e várias notas de dinheiro escondidas embaixo da roupa que o recém-nascido estava usando.

A PC investiga se de fato a criança foi entregue como uma forma de garantia do pagamento para o uso de drogas. A mulher de 23 anos, que estava na boca de fumo cuidando do bebê, foi levada para a delegacia de Jaru e responderá pelo crime de tráfico de drogas. Se for confirmado o cárcere privado, ela responderá também por subtração de incapaz.

A criança e a mãe foram encaminhadas para o Conselho Tutelar, onde aguardam as investigações e conclusão do caso.


Fonte: comando190

Oito em cada dez brasileiros têm medo de morrer assassinados, diz Datafolha

Os moradores das cidades brasileiras têm medo de morrer assassinados. É o que constata pesquisa divulgada nesta sexta-feira  (31) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mostrando que essa é uma preocupação de 81% da população com mais de 16 anos.

A informação consta de levantamento encomendado pelo fórum ao Instituto Datafolha, e ouviu 1.307 pessoas em 84 municípios com mais de 100 mil habitantes, na última terça-feira. (28). A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

“Sessenta e três por cento das pessoas têm muito medo [de morrer assassinadas] e 49%, com medo, acham que podem ser vítimas já no próximo ano”, disse o vice-presidente do fórum, Renato Sérgio de Lima, que apresentou os dados. “Ou seja, temos uma população atemorizada”, destacou.

Em 2012, o número de pessoas com medo de morrer assassinadas era menor. Naquele ano, levantamento semelhante do Datafolha em cidades com 15 mil habitantes mostrava que esse medo era de 65%, sendo que, em 2015, é maior entre mulheres, pessoas de cor preta e do Nordeste.

O levantamento também mostra que 62% da população tem medo da Polícia Militar, especialmente pessoas entre 16 e 24 anos, que recebem até dois salários-mínimos (68%) e são pretas (71%). No caso da Polícia Civil, o medo foi manifestado por 53% dos entrevistados, a maioria mulher. “Essa é uma informação [sobre as policias] requer uma reflexão, destacou Renato de Lima.

Outro dado revelador foi a constatação que mais da metade dos brasileiros – 52% - têm um conhecido ou parente que foi vítima de homicídio, e 20% deles já foi vítima de ameaça de homicídio. “Isso diz que a população não está com medo à toa, a violência faz parte do cotidiano”, pontuou.

Para enfrentar o problema, que coloca o Brasil na lista dos países que concentram homicídios no mundo e está no sétimo lugar em número de assassinatos na América Latina, segundo as Nações Unidas, a população quer ações integradas de governos que não passem por abordagens agressivas com suspeitos, conforme apontam também os dados do Datafolha.


Fonte: Agência Brasil

PB: Major da PM é baleado durante tentativa de assalto com troca tiros



Uma tentativa de assalto ocorrida na avenida Pedro II, em João Pessoa-PB, no início da tarde da ultima quinta-feira (30), resultou em troca de tiros. O Major Pablo, comandante da Polícia Militar de Cabedelo, foi baleado na coxa, enquanto dois bandidos fugiram com a sua arma. O major estava com uma quantia de dinheiro, e a suspeita é de que os bandidos já o aguardavam no local.

O major Pablo teria reagido a ação dos bandidos e efetuado disparos contra os meliantes, no entanto um deles conseguiu tomar a arma do militar, e atirou contra o major, o atingindo na coxa.

O militar foi socorrido pelo Samu e encaminhado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. O boletim do hospital com o estado de saúde do major Pablo ainda não foi divulgado.


Fonte: WSCOM Online

RN: Dois bandidos trocam tiros com o GTO e um morre

Uma dupla de assaltantes não levou sorte ao enfrentar o GTO da Polícia Militar de Umarizal-RN na noite de ontem, (31) sexta-feira.

Segundo informações, a motocicleta que a dupla trafegava, tem queixa de roubo em Caicó, e por isso os meliantes não obedeceram a ordem de parada, dada pela polícia, e ainda revidaram atirando.

Houve trocas de tiros e um dos suspeitos, vulgarmente conhecido como "Lucas de Caraúbas", veio a óbito. O outro suspeito foi detido e levado a delegacia de Umarizal-RN.





Fonte: focoelho

Polícia prende pedreiro suspeito de matar mulher a marretadas no RN

Geraldo Amaro do Nascimento foi detido em Ielmo Marinho, na Grande Natal.
Dona de casa foi morta com golpes de marreta na quinta em Macaíba.

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte prendeu na noite desta sexta-feira (31) o principal suspeito do assassinato da dona de casa Normalice de Freitas Lourenço, de 41 anos, morta a marretadas em Macaiba, na Grande Natal. O pedreiro Geraldo José Amaro do Nascimento, de 41 anos, foi detido em uma casa na zona rural de Ielmo Marinho, também na região metropolitana. O carro da vítima também foi apreendido no local.

O delegado Normando Feitosa agora trabalha para tentar localizar a marreta usada no crime. De acordo com o delegado, as investigações também confirmaram que o crime se trata de um latrocínio (roubo seguido de morte). Além do carro roubado da vítima, o pedreiro ainda teria roubado uma quantia em dinheiro estimada em R$ 35 mil e comprado um carro na manhã desta sexta um dia depois do homicídio, pelo valor de R$ 21 mil pagos em dinheiro.

“Segundo informações que recebemos, o valor roubado pelo suspeito é de cerca de R$ 35 mil. Além do carro comprado a vista, recuperamos um valor de R$ 5.550 na casa da mulher dele”, afirmou o delegado. A Polícia Civil também investiga se Geraldo agiu sozinho ou se o crime teve participação de outros envolvidos.

O crime
Normalice de Freitas Lourenço, de 41 anos, foi assassinada a golpes de marreta na noite desta quinta-feira (30) dentro de uma casa no centro de Macaíba, cidade da região Metropolitana de Natal. A casa passava por reformas e o pedreiro suspeito do crime estava trabalhando no local. Os dois teriam discutido durante a manhã da quinta.

A polícia informou também que a mulher era separada, e morava com a filha, o genro e um neto. Foi a filha quem encontrou o corpo da mãe e chamou a polícia. O corpo de Normalice estava dentro de um dos quartos da casa. Ela estava próximo a uma janela, com as mãos e pés amarrados e enrolado em um lençol.


Fonte: intertv

sexta-feira, 31 de julho de 2015

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA AÇÕES: NÍVEIS, DESAGREGAÇÃO e PROMOÇÃO EX-OFFÍCIO

Segue relação de documentos necessários aos nossos associados para entrarem com ações contra o Estado do Rio Grande do Norte.


ATENÇÃO:

Procedimentos a se adotar:

1.    Reunir os documentos;
2.    Entregar na Secretaria da ASSPRA (ou enviar para o e-mail: assprapmrn@gmail.com, com o título: AÇÃO DE (especificar o tipo: NÍVEISDESAGREGAÇÃO ou PROMOÇÃO EX-OFFICIO);
3.    Receber da Secretaria o ENCAMINHAMENTO autorizando o sócio a fazer uso do jurídico;
4.   Se informar sobre possíveis valores a custear (honorários advocatícios, custas processuais, xerox, deslocamento e alimentação dos advogados etc);
5. Assinar a PROCURAÇÃO e o CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADVOCATÍCIOS.


Apenas a partir daí, se dará início a Assistência Jurídica ao associado.


RELAÇÃO DE DOCUMENTOS POR TIPO DE AÇÃO


I.            DOCUMENTOS: AÇÃO DE NÍVEIS ATRASADOS

1.      Procuração (declaração de pobreza não é necessária)
2.      Cópia simples do RG do militar (frente e verso)
3.      Cópia simples de Comprovante de residência (atualizado)
4.      BG da mudança de nível ou informar o número
5.      Ficha Financeira do período em atraso (site do Governo)


II.            DOCUMENTOS: DESAGREGAÇÃO

1.      BG da Agregação ou informar o número;
2.      Certidão de antecedentes criminais (Justiça Comum Estadual)
3.      Ficha individual do militar (ou ficha de reconhecimento meritório para os Sargentos)
4.      Certidão Negativa da Corregedoria PMRN
5.      Certidão Negativa da Assessoria Administrativa PMRN
6.      Recolhimento de: Custas processuais R$ 160,00 + Xerox R$ 20,00.


III.            DOCUMENTOS: PROMOÇÃO EX-OFFÍCIO

1.  Contar com o interstício em dobro na graduação (Soldados: 10 anos, Cabos: 06 anos, Sargentos: 04 anos);
2.     Cópia simples do RG militar (frente e verso)
3.     Cópia simples de Comprovante de residência (atualizado)
7.      Ficha individual do militar (ou ficha de reconhecimento meritório para os Sargentos)
4.      Certidão de antecedentes criminais (Justiça Comum Estadual)
5.   Certidão Negativa da Corregedoria PMRN, dizendo que não responde à Procedimento Administrativo Disciplinar (Sindicância)
6.     Certidão Negativa da Assessoria Administrativa PMRN, dizendo que não há Procedimento Administrativo instaurado no âmbito da PMRN;
7.    Cópia de publicação em BG da Inspeção de Saúde para o Quadro de Acesso relativo à promoção do dia 21/04/2015;
8.      Cópia de publicação em BG do Quadro de Acesso relativo à promoção do dia 21/04/2015;
9.      Recolhimento de: Custas processuais R$ 160,00 + Xerox R$ 20,00.

Observação: Pedido de JUSTIÇA GRATUITA, apenas mediante juntada de gastos domésticos mensais e contracheque, onde denuncie a hipossuficiência do interessado.


 Fonte: Diretoria Jurídica ASSPRA


PB: Operação Andaime chega a 49 acusados por prática de 223 crimes

Os nomes dos denunciados não são divulgados pelo Ministério Público porque o processo corre em segredo de Justiça, mas poderão ser conhecidos após instrução do processo.

O Ministério Público Federal (MPF) em Sousa ajuizou nesta quinta-feira, 30 de julho de 2015, mais uma denúncia contra 21 pessoas envolvidas na organização criminosa que fraudou licitações em obras e serviços de engenharia em municípios do Alto Sertão da Paraíba. A quadrilha foi desarticulada durante a Operação Andaime, deflagrada em 26 de junho de 2015, numa ação conjunta do MPF, Controladoria Geral da União e Polícia Federal.

Desta vez, o total de crimes praticados pelos 21 denunciados foi 80, dentre eles, falsificação de documento público, lavagem de dinheiro, peculato e fraude licitatória.
Somando as três denúncias oferecidas pela Procuradoria da República até o momento, são 223 delitos praticados, atingindo os municípios de Joca Claudino, Bernardino Batista e Cajazeiras. Ao todo, já são 49 acusações contra 39 pessoas. Há acusados citados em mais de uma denúncia.

Em todos os casos, o Ministério Público Federal requer a aplicação da perda de cargo, emprego, função pública ou mandato eletivo dos réus como efeito da condenação. Também requer a aplicação da pena privativa de liberdade em quantidade a ser proposta para cada um dos réus, individualmente, no final do processo. Além disso, o MPF pede a fixação, em R$ 18 milhões, do valor mínimo para reparação dos danos causados pela organização criminosa.

Publicidade restrita - Assim como fez nos dias em 23 e 28 de julho, quando pediu à Justiça o levantamento da publicidade restrita quanto à identidade dos nove primeiros denunciados no caso, o MPF requereu novamente o levantamento do sigilo, dessa vez com relação aos 21 novos denunciados. Para o Ministério Público Federal, após apresentada a denúncia, deve prevalecer o direito da sociedade de acompanhar o processo judicial instaurado contra os réus. Para o MPF, ao ser iniciada a ação penal, passa a vigorar o princípio da liberdade de imprensa, previsto no artigo 5º da Constituição Federal.


Fonte: diariodosertao

Homem mata esposa a facadas e ainda fere enteada na Grande João Pessoa

Crimes aconteceram na noite dessa quinta-feira, em Alhandra. Suspeito foi preso em flagrante e está internado sob custódia da polícia

Uma mulher de 41 anos foi assassinada a golpes de faca na noite dessa quinta-feira (30), na cidade de Alhandra, Grande João Pessoa. O crime aconteceu por volta das 23h30. Segundo a polícia, o autor dos golpes foi o marido da vítima, um marchante de 45 anos. Ele também feriu a enteada, uma jovem de 22 anos. Após cometer os crimes, o homem tentou se matar usando a mesma arma.


De acordo com o tenente Tavares, da 3ª Companhia de Polícia Militar em Alhandra, o suspeito tentou matar primeiro a enteada. A esposa dele percebeu a ação e, ao tentar defender a filha, acabou sendo atingida pelos golpes. Ela foi ferida nas regiões do pescoço, tórax, costas e braços e morreu ainda no local. Depois, o suspeito tentou se matar com uma facada no abdômen.

Outra filha da vítima também estava na casa, mas conseguiu escapar dos ataques. Foi ela quem acionou a polícia e equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O suspeito e a enteada ferida foram levados para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, onde permanecem internados. Eles passaram por cirurgias e estão com quadro clínico regular.

O suspeito foi preso em flagrante e está sob custódia da polícia. Assim que receber alta ele deve ser encaminhado para uma penitenciária. A Polícia Civil vai investigar os detalhes e motivações do crime.


Fonte: portalcorreio

Mulher de 41 anos é morta a golpes de marreta em Macaíba

Suspeitos do crime, que seriam pedreiros, fugiram levando o carro da vítima

Uma mulher de 41 anos identificada como Normalice de Freitas Florêncio foi encontrada morta, dentro do quarto da casa onde morava na rua professor Paulo Mesquita, no centro da cidade de Macaíba. Norma, como era mais conhecida, estava com as mãos e pés amarrados com lençóis e o corpo enrolado com edredons. De acordo com a polícia a vítima teve o carro levado pelos suspeitos, que podem ser pedreiros que trabalhavam no local do crime.

Segundo o cabo da Polícia Militar, Wilson Silva uma das filhas da vítima chamou a polícia aflita informando sobre o ocorrido. “Recebemos a informação da filha de Norma de que a mãe estava desaparecida desde as 9h da manhã após uma discussão com pedreiros que trabalhavam na residência. Imediatamente fomos ao local e acabamos encontrando o corpo da dona de casa dentro do quarto, amarrado e enrolado”, disse.

O policial ainda informou que os suspeitos fugiram levando o carro da vítima, um veículo modelo Crossfox, de placa MXS 6546 de Macaíba. Os familiares da mulher morta preferiram não falar nada sobre o caso, mas demonstraram muita revolta. Os peritos do ITEP estiveram no local, assim como o delegado Sérgio Freitas da Dehom (Delegacia Especializada de Homicídios), porém as investigações serão coordenadas pelo delegado titular da delegacia de Extremoz.


Fonte: portalbo