Audiência de acusado de matar padrinhos na PB deve ser adiada

Audiência de instrução está prevista para a tarde desta segunda.
Nelsivan é acusado de mandar matar padrinhos na noite do casamento

Casal foi morto depois de festa de casamento em
Campina Grande (Foto: Reprodução / TV Paraíba)


Deve ser adiada para o dia 3 de março a audiência de instrução do empresário Nelsivan Marques de Carvalho, acusado de ser o mandante do assassinato do empresário Washington Luiz, de 51 anos, e sua mulher, Lúcia Santana, de 42 anos, na noite do próprio casamento, em Campina Grande, em março de 2014. A informação é do promotor Osvaldo Lopes. A audiência está programada para acontecer nesta segunda-feira (23), às 14h.

Nelsivan era sócio das vítimas e foi preso em uma operação realizada pela Polícia Civil menos de um mês depois do crime. Para a polícia, uma dívida de R$ 81 mil relativa à compra de um carro foi o motivo do duplo homicídio. Na denúncia feita pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), o sócio é apontado como mandante do crime e um suspeito de agiotagem seria o intermediário que contratou o pistoleiro para matar as vítimas.

Segundo o promotor de justiça Osvaldo Lopes, na manhã desta segunda-feira foi iniciado o julgamento de um réu preso, de outro processo, no tribunal do juri, o que poderia comprometer o acompanhamento da audiência do caso do duplo homicídio, que estava marcada para a tarde deste mesmo dia. O juiz do caso, Falcandre de Souza Queiroz, disse à TV Paraíba que vai aguardar até as 14h, horário previsto para a audiência, pela presença do representando Ministério Público para poder decidir pelo adiamento.

Esta é a primeira vez em que o principal acusado do crime vai prestar depoimento. Nelsivan se preservou ao direito de ficar calado durante todo o processo e a expectativa é de que deva se pronunciar diante do juiz durante a audiência de instrução.

A defesa do empresário fez o pedido de adiamento alegando que a parte não recebeu todas as provas e documentos da fase de investigação e assim não pode preparar uma defesa adequada para a audiência. Além de Nelsivan, outros cinco suspeitos de terem participado do crime e testemunhas importantes no caso devem ser ouvidos, inclusive um segurança que estava na frente da casa de festas e foi atingido por um tiro no ombro no momento do crime.

Fonte: TV Paraíba
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.