Mossoró: Guardas civis programam parada de advertência

Paralisação ocorrerá na sexta-feira, dia 26, e deve atingir o “Mossoró Cidade Junina”. A pauta de reivindicações discutida em assembleia será encaminhada ao prefeito Francisco José Júnior.

Sindicalista Rillen Rocha espera receber resposta até sexta – Foto Wilson Moreno

Guardas civis municipais programaram uma paralisação de advertência nesta sexta-feira, 26. A decisão foi tomada em assembleia realizada ontem, 22, pela manhã no auditório do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINDSERPUM). A parada de 24 horas deve atingir a segurança do Mossoró Cidade Junina.

A primeira iniciativa prevista na agenda de mobilização dos agentes é uma doação coletiva de sangue. Será às 8h da sexta-feira, no Hemocentro de Mossoró. A categoria ainda irá decidir qual será a próxima atividade após esta primeira ação do dia.

O diretor regional do Sindicado de Guardas Municipais do Estado do Rio Grande do Norte (SINDGUARDAS/RN), Rillen Rocha, explica que a paralisação é uma forma de pressionar o poder público municipal.

Quanto à doação de sangue como atividade de paralisação, ele ressalta que é uma forma de mostrar o comprometimento com o social. “O Hemocentro está sempre precisando. E isso mostra o comprometimento social do sindicato com a sociedade mossoroense”, informa.

A pauta de reivindicações discutida em assembleia será encaminhada ao prefeito Francisco José Júnior. A categoria espera receber alguma resposta até sexta-feira. Até o dia 26, os guardas municipais realizarão um trabalho de sensibilização com os colegas pela adesão ao movimento.

Ontem, diretores do sindicato estiveram reunidos com a secretária municipal de Administração, Sirleyde Dias de Almeida. Segundo ela, durante o encontro foi exposta a situação do Município e a secretária se comprometeu em fazer um estudo sobre as pautas da categoria. Sirleyde Dias, no entanto, adianta que as reivindicações só podem ser atendidas quando o Município tiver sua receita ampliada e sair do limite prudencial. Então haverá novo encontro com os guardas civis e a Secretaria de Justiça.

Com relação à possibilidade de paralisação, a secretária afirma que “Não tem um motivo justo para parar porque”, acrescentando que as pautas estão sendo estudadas e o reajuste geral está sendo discutido com o Sindicato.

“De fato, participamos dessa reunião com a secretária de Administração, mas a resposta foi bem simples, não a todas as pautas”, disse Rillen Rocha, após o encontro.

Ele informou que ainda ontem o grupo de guardas civis que está programando a paralisação iria se reunir para debater sobre o que foi discutido durante a reunião com a representante da gestão municipal.

A perspectiva, no entanto, era dar continuidade ao que havia sido debatido pela categoria durante a assembleia que aprovou a paralisação de advertência. “Acredito que vai continuar. Para efeito de validade, só quem pode cancelar a paralisação é a assembleia”, informa.

Hoje deve ser discutida a possibilidade de uma nova assembleia da categoria.

 PLEITO

Na pauta de reivindicação da categoria estão os seguintes itens: revisão do adicional noturno; banco de horas extras; revisão da interjornada; reajuste do Plano de Cargos e Carreiras 2014 e 2015; concurso interno de inspetor e subinspetor; implementação do Auxílio Fardamento; trabalho em duplas; pagamento de adicional de insalubridade; pagamento dos plantões de saúde, entre outros.


Fonte: gazetadooeste
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.