‘Não tem um porquê essa covardia’, diz mãe de jovem torturada

Ana Beatriz, de 14 anos, morreu ao receber os primeiros socorros.
Ela foi achada amarrada e amordaçada, no sábado, no Morro dos Macacos-RJ
A mãe da jovem torturada até a morte no Morro dos Macacos, Zona Norte do Rio, no último fim de semana desabafou sobre o caso em entrevista ao Bom Dia Rio desta segunda-feira (18). Ela foi socorrida para o hospital, mas não resistiu e morreu. A Divisão de Homicídios da Polícia Civil investiga o caso.

“O que mais me está doendo é isso, ela ter sido torturada. Uma pessoa boa. Não é porque é minha filha, mas pode perguntar a qualquer pessoa, que todo mundo vai falar a mesma coisa. Não tem um porquê dessa covardia toda, não tem. Não consigo imaginar o porquê?”, lamentou Soraya Silva, enquanto aguardava o atestado de óbito no IML, no domingo (17). "Com fé em Deus, vai ter Justiça", acrescentou.

Ela foi encontrada pela mãe Soraya Silva dentro de casa. A jovem estava com as mãos e pés amarrados. "Eu cheguei em casa e bati na porta, ai ela não atendia. Ai eu fui e subi em cima de um negócio e olhei pela janela. Quando eu olhei, vi que ela estava com os braços para trás amarrados e as pernas amarrada. Eu chamei os vizinhos, derrubei a porta e quando eu virei ela estava com um pano amarrado na boca. Ela estava toda roxa já”, disse Soraya.

Ana Beatriz participava de um programa social que dava apoio socioeducativo para meninas. A assistente social Lane dos Santos acompanhava a jovem e afirmou que ela tinha projetos de estudo. "Ana tinha toda a vida pela frente, tinha seus projetos de estudos. Era uma menina focada. Um dos sonhos da Ana era ir morar na Inglaterra, ela tinha essa coisa de sonho grande", disse Lane.

Polícia apura a morte
Ana Beatriz Andrade, de 14 anos, foi encontrada por policiais militares no sábado (16) à tarde, amordaçada e amarrada, em sua própria casa no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio.

Em nota, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) disse que os policiais foram chamados por moradores com a denúncia de que havia uma jovem com sinais de tortura dentro de uma casa na localidade conhecida como Lote. A jovem foi levada para o Hospital Federal do Andaraí, na Zona Norte, mas acabou morrendo quando recebia os primeiros socorros.

A Divisão de Homicídios disse que no próprio sábado foi realizada uma perícia e fez uma ampla investigação no local do crime. Os agentes seguem fazendo buscas por mais informações que ajudem a identificar o autor do crime.


Fonte: extra
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.