Em audiência pública, militares vão cobrar justiça

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN) vai realizar nesta terça-feira (27), às 14h, uma audiência pública sobre Segurança Pública. Na ocasião, os profissionais da área vão realizar um ato de protesto e defesa de sua própria salvaguarda, tendo em vista a atual onda de crises direcionada aos operadores de Segurança Pública. 

Na segunda-feira (26), um casal de policiais militares de Santa Catarina, de férias em Natal, sofreu uma tentativa de roubo. Na ocasião, os criminosos dispararam contra os dois, matando a mulher, que chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. 

Com esse crime, sobe para sete o número de militares mortos só este ano no RN. Nesse sentido, é urgente às autoridades a tomada de uma medida enérgica. 

Vale lembrar que, em janeiro deste ano, as associações de militares enviaram ofício à Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (SESED), sugerindo a criação de um comitê integrado para o combate de crimes perpetrados contra agentes de segurança pública. Até agora, nenhuma medida foi tomada. 

Por isso, não é exagero afirmar que os policiais e bombeiros militares, em especial os Praças, que enfrentam os bandidos frente à frente, e fazem o trabalho ostensivo, estão abandonados pelo Estado. Esses profissionais morrem junto às populações menos favorecidas, igualmente à margem de proteção. 

A falta de políticas públicas tanto para enfrentamento eficaz da violência quanto para o combate da desigualdade social está condenando essa parcela da população a um verdadeiro extermínio. 

Reintegração 

A audiência pública foi proposta pelo deputado Carlos Augusto Maia (PCdoB) e pretende debater principalmente a reintegração de policiais militares do RN desligados da corporação sem o devido processo administrativo disciplinar. Os fatos ocorreram entre os anos 70 e 90. 

Assessoria de Comunicação das Associações de Praças do RN


0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário! Ao ser aprovado será publicado.